receba nossa newsletter!
 
 
Produção
 

Criação animal orgânica

Ricardo Cerveira

Para um animal estar dentro das normas de produção orgânica, sabemos que o produtor deverá cumprir as exigências estabelecidas na legislação dos orgânicos. A não utilização de antibióticos ou qualquer tipo de hormônio é uma delas, porém as vacinas exigidas em lei são obrigatórias e devem ser respeitadas.

Alguns requisitos além desses também devem ser observados, como a preocupação com o conforto do animal, a preservação do comportamento natural da espécie, destacando o movimento, as áreas de sombreamento e acesso facilitado às fontes de água, além da forma de abate, que deverá ser praticada com o mínimo de sofrimento possível. O espaço onde eles transitam deve estar livre da aplicação de agrotóxicos e/ou adubos minerais sintéticos.

Diante desses rápidos esclarecimentos, olhamos para o Brasil e percebemos que o nosso  sistema de produção animal  orgânico ainda tem grandes desafios estruturais.

Temos poucos projetos certificados e outros poucos encaminhados para certificação. Comparado com projetos certificados de produção vegetal, ainda estamos engatinhando. E por que isso ocorre?

Na Argentina, dados oficiais apresentam que a produção animal orgânica é muito maior do que a nossa. E a Austrália? Muito mais evoluída. Qual a explicação para nosso baixo desempenho na produção animal, considerando que somos um grande produtor de orgânicos?

O  Brasil ainda tem pouca estruturação da cadeia produtiva de orgânico. Normalmente, quando uma nação inicia os projetos orgânicos, começa pela produção vegetal. A explicação é simples: na produção animal, a base de alimentação da criação é vegetal orgânico, portanto prioritariamente a produção vegetal precisa estar desenvolvida para a estruturação do mercado da criação animal orgânica.

Existem exceções: os dois países supra citados têm, em sua formação geográfica, grandes campos naturais, o que permite a criação de ruminantes orgânicos com poucos ajustes na produção. No caso brasileiro, com a exceção do Pantanal, a produção de ruminantes precisa ser ajustada de forma mais complexa. E, para os monogástricos, como aves, é necessário ter fornecimento constante de grãos. Porém, a produção de grãos orgânicos é praticamente toda exportada. Países desenvolvidos têm todo setor de produção animal orgânicos estruturada e, naquilo que eles não têm condições de produzir, importam de outros países. A exemplo, soja e milho orgânicos.

Como a exportação tende a ser interessante para os produtores, o preço desses elementos básicos para a produção animal torna-se cara, desestimulando a produção animal.

Vejo que, a exemplo de outros países, precisamos estimular o crescimento da produção de vegetais orgânicos, que servem de base para a produção animal. Somente com o crescimento desses produtos o mercado de produção animal orgânico terá condições de se desenvolver.

Siga o PORTAL ORGÂNICO no Twitter.

 
Relacionados
 
Setembro
dom
seg
ter
qua
qui
sex
sab
31
01
02
03
04
05
06
08
09
12
13
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
01
02
03
04
  • / Livros
    Biodigestor na agricultura familiar do seminário
  • / Livros
    O futuro roubado
  • / Livros
    O que comemos afinal?
  • / Livros
    Cartilha agricultura biodinâmica - Vida nova para a terra
  • / Livros
    Adubos verdes e produção de biomassa - Melhoria e recuperação dos solos
  • / Livros
    Fundamentos da agricultura biodinâmica
  • / Livros
    Primavera silenciosa
  • / Produção
    Projeto Água Doce - Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo
  • / Produção
    Projeto Água Doce - Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo
  • / Produção
    Ela é quem manda na horta da Fazenda da Toca
  • / Produção
    Projeto Água Doce - Agricultura sustentável em área de mananciais
  • / Produção
    Leoncio Soares de Oliveira, agricultor orgânico
GALERIA DE CONTEÚDO
FILTROS
ARTIGOS
Ordenar Por:

Áreas
Produção
Nutrição
Gastronomia
Bem Estar


A-Z
Data
Colaborador(a)
NOTÍCIAS
Ordenar Por:

Áreas
Produção
Nutrição
Gastronomia
Bem Estar


A-Z
Data
Fonte
PUBLICAÇÕES
Ordenar Por:

Áreas
Produção
Nutrição
Gastronomia
Bem Estar


A-Z
Data
Autor(a)
ENTREVISTAS
Ordenar Por:

Áreas
Produção
Nutrição
Gastronomia
Bem Estar


A-Z
Data
Entrevistado(a)